sábado, 18 de outubro de 2008

Jog deixa-nos na mão novamente

Estamos aqui para falar mais uma vez da Jog e da minha experiência em andar nela, ou melhor,  tentativa de andar nela... Estávamos querendo fazer aquela seção cinema padrão, pensamos vamos ao mercado comprar algo para comer e beber. Lá fomos Her Pig  e eu em sua Fazer e o Bode Loko na Jog. Na volta perguntaram se eu queria dirigir a Jog  fiquei meio assim, mas no fim acabei aceitando. Lá fui eu pilotá-la, já no começo olho a subida pra sair do estacionamento e penso:

“Essa coisa não vai subir isso nem a pau”

Resolvi acelerar com tudo, assim deve subir mais e chegar perto do topo, qualquer coisa é pouco pra empurrar. Não tinha reparado que no pé da subida tinha uma canaleta com uma grade para escoamento de água. Passei direto quase levei um pacote buuuniiittooo, nessas horas como é bom ter um amortecedor, que infelizmente aquela Jog não tem. Ahhhh droga!!

Estava andando bem até parar num sinaleiro e a moto morre, eu já pensei:

“iiiiiihhhh fudeu”

 Lá vou eu tentar ligá-la, incrivelmente ela pegou de prima. Fiquei tão feliz, mas como felicidade de pobre dura pouco (continue lendo que você irá descobrir por que). Aguardei o sinaleiro ficar verde e na hora de arrancar vi que a manopla do acelerador girou em falso e ela não saiu do lugar.  Fiquei com a leve impressão que o cabo do acelerador tinha arrebentado de novo, e não precisou de muito tempo para confirmar que a impressão tinha se tornado realidade. Eis que acabou a minha felicidade, falei que era por pouco tempo. Uma coisa me impressionou ninguém havia buzinado. Mas acho que foi pelo motivo de não ter nenhum carro parado atrás de mim... Fiquei com medo quando os carros passavam voando do meu lado e eu ali parado, esperando um espaço para ir para a calçada.

Nesse tempo os meus amigos retornaram para ver o que tinha ocorrido. Ainda bem que o Herr Pig estava presente, nosso S.O.S. 24hs fez uma gambi e voltou pilotando a Jog só puxando o cabo do acelerador e eu voltei de carona com o Bode Loko. Senti medo de volta, mas conseguimos chegar vivos e inteiros ao destino.

Observações finais:

Nem queria andar Jog mesmo.

 

André Calliari – Sgt. Xester

5 comentários:

Chris disse...

Ihhh blog falidão

Luciano disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Chris disse...

vou eh jogar ela no meio da tua fuça

disse...

iuahsiuahsiuahs...o xester escreve bem..detalhe do 'eu nem queria andar de jog msm'..raxei de ri..auishaiuhsuiahs

llpilch disse...

nos deixa* =D