segunda-feira, 20 de julho de 2009

Passou perto.

Conversando com uns amigos acabei por me lembrar de uma situação que me ocorreu. Dessa vez apesar de bastante incomum, acreditem por mais difícil que isso seja. Tive nada a ver com o fato, fui apenas um mero espectador, com bilhetes para a primeira fila, mas mesmo assim um espectador.
Quando ando de carro ou motocicleta treino a arte da vesguice, afinal fico com um olho na rua vendo o que está ocorrendo a minha frente e outro nos espelhos observando o que ocorre atrás de mim. No dia estava indo andar de kart, tinha um amigo meu na garupa e estava reduzindo para passar em uma lombada numa avenida de duas faixas. Mantendo o costume do piloto vesgo, vejo no meu retrovisor um palio vindo a toda velocidade pela faixa da direita. O motorista não percebeu que ali tinha uma lombada e que os carros estavam diminuindo para passar por ela, no desespero ele tenta frear o carro, em vão, pois as suas rodas travam devido à velocidade. Então ele joga o carro para cima da calçada, e ao fazer isso começa a capotar, tudo isso ali pertinho de mim, pouco mais de 2 metros, eu e meu amigo ficamos brancos nessa hora, a ponto de dar inveja ao Gasparzinho e sua cara de lençol encardido.
O individuo foi socorrido por uma viatura da policia rodoviária que estava coincidentemente a 20 metros do local do acidente. Depois desse fato mais do que nunca creio que estar atento é tudo. Afinal o que vem por traz também pode machucar, e muito...


Diego Frantz - Herr Pig

Um comentário:

Chris disse...

Olha só que bonito o novo visu..quanto a história é lembro desse dia de kart q vcs chegaram branco haha